sexta-feira, 23 de maio de 2014

Manipulação da Boa Fé Pública - Por Luiz Domingues




Não é de hoje que os espertalhões de plantão usam e abusam da boa fé das pessoas para aplicar golpes.

Desde as cavernas, esse tipo de artifício é usado pelos inescrupulosos, que com esse tipo de ação são duplamente execráveis, pois além do golpe em si, existe a agravante da humilhação alheia como alavanca para tais ações.

Com o advento da Internet, isso só multiplicou-se, na triste proporção de que a humanidade dá saltos geométricos nos avanços tecnológicos, mas permanece estagnada nos padrões morais, e muitos (pasmem), retroagem...


O uso da máquina da Internet, potencializada pela febre da interação nas redes sociais, só fez crescer esse tipo de ação criminosa.

Há uma extensa lista de E-mails falsos contendo vírus, que a polícia federal recomenda que não cliquemos e basta ter um mínimo de experiência como usuário para decorar a máxima de que não se deve abrir E-mails suspeitos.

Mas existem outros tipos de golpes, tão sujos quanto, e se não estão ligados diretamente à práticas criminosas perpetradas por bandidos, são tão perniciosas quanto.


Refiro-me à enorme quantidade de postagens falsas que comovem as pessoas e rapidamente se tornam virais, gerando milhares de compartilhamentos e comentários de apoio.

Subitamente aparece no mural da sua rede social predileta uma foto montada, dando conta que um determinado alimento muito popular, é acusado de ser cancerígeno e na postagem, constam nomes de "cientistas" de universidades famosas que concluíram tal pesquisa... bla bla bla.


Não passa nem um segundo e milhares de pessoas já estão tratando de espalhar a nova, com a convicção de que estão "contribuindo" ao alertar seus amigos e parentes e isso vira uma corrente de proporção incalculável.

Só que a postagem era falsa. Muito provavelmente era uma brincadeira de algum desocupado que regozija-se com seu vandalismo virtual ou , pior ainda, é fruto de uma sabotagem industrial por parte de alguém que quer prejudicar a empresa responsável pela industrialização de tal alimento.

Já vi acontecer isso com remédios, produtos de limpeza, cosméticos, brinquedos, roupas, sapatos e diversos outros objetos.

Calúnia, difamação e sabotagem ?


Claro que sim, e pelo que sei, fica por isso mesmo, pois desconheço que as autoridades tenham localizado, indiciado e levado a julgamento, tais pessoas autoras dessas ações.

Mas é no campo político que temos mais observado esse tipo de ação escusa, abominável e digna de asco por parte de qualquer cidadão de bem.

O uso desse expediente para provocar formação de opinião, tomada de posição e possível revolta, é criminoso, no mínimo.


Nenhum partido político jamais admitirá ter participação nesse tipo de estratégia, e certamente sempre usarão laranjas se "a casa cair", mas o fato é que a rede de boatarias está solta no ar e tal prática é absolutamente nojenta, caracterizando um golpe baixo na democracia e sobretudo na boa fé da população.

Em época de campanhas políticas, o bicho come solto na internet. Todo dia as redes sociais lotam de postagens absurdas, fazendo afirmações falsas, induzindo à não reflexão mais apurada e à comoção e nesse instante, no impulso, é que fazem uso da "idiotia servil", um prática detestável, que ofende a inteligência das pessoas de bem.


Com milhares, milhões de idiotas úteis trabalhando a seu favor, cegamente, fica mais fácil formatar um conceito, um paradigma que ganha contorno de verdade absoluta.

Isso não é nenhuma novidade criada junto à moderna tecnologia. Na verdade, a tecnologia do século XXI que avança, só tratou de potencializar tal expediente.


Esse tipo de uso de informação manipulada, que comove as pessoas e as faz aderirem sem pensar, é mais antiga que a civilização, e nos anos quarenta da década passada, ganhou contornos dramáticos quando usada por um homem chamado Joseph Goebbels.

Esse cidadão foi um mestre nesse tipo de artimanha, não podemos negar sua genialidade, mas, claro que a usou com motivações muito equivocadas e deu no que deu.

Infelizmente, mesmo com o rescaldo do que esse tipo de prática causou naquela ocasião, ainda existem muitos entusiastas desse tipo de ação e tem em Goebbels, um ídolo, praticamente.

Dessa forma, não passa um dia sem que ao abrirmos E-mails, não vejamos pessoas amigas e de ótima índole, lhe "repassando" recados criados com objetivos políticos claramente sabotadores, como se fossem verdades absolutas e no afã de "ajudar", as pessoas só trabalham como idiotas úteis desses crápulas.


Como máxima do jornalismo, uma notícia só pode ser publicada mediante confirmação de uma fonte fidedigna. Jornalistas costumam checar na verdade, muitas fontes, antes de assinarem uma matéria.

Portanto, caro leitor, é bom seguir esse preceito, mesmo nós que não somos jornalistas e sendo assim, jamais repassar um E-mail com "notícias bombásticas", sem checar a fonte de tal novidade.

Principalmente nas redes sociais, onde a tentação de se sentir popular é enorme (pelo caráter instantâneo das postagens e sua repercussão), por favor, tenha muito cuidado antes de compartilhar, pois muitas vezes aquelas coisas "revoltantes" ou "comoventes", tem uma procedência manipulada e você será mais um idiota útil, por parte de pessoas que tem muito interesse em ver o circo pegar fogo.


Matéria publicada anteriormente no Blog Planet Polêmica, em 2014.

Nenhum comentário:

Postar um comentário